quarta-feira, 7 de outubro de 2015

Coluna SNACK BAR - O Lado B da Humanidade: CINE ARTE POSTO 4: A PRIMEIRA COISA BELA




            Durante a primavera de 2012, o Cine Arte Posto 4 exibiu “A Primeira Coisa Bela”. Um filme italiano que foi lançado em 2011 e é dirigido por Paolo Virzì. E é um dos raros filmes que faz o espectador esquecer de que está em uma sala de cinema. Pois ele é, tecnicamente, perfeito.
            Todavia, a trama irradia a ideia de que a vida pode ser uma manifestação artística. Dependendo apenas de como é imaginada e da habilidade com que é gerida.
            Contudo, calcada pelo entendimento de que as ações esporádicas entregam o destino ao acaso. Assim, desperdiçando tempo e energia. E o pior, dando sustentação ao argumento dos néscios; do tipo: “O futuro a Deus pertence”.
            Mas quem é Deus, senão o homem?
            Entretanto, isso requer um pensamento econômico. Pois o minimalismo é a chave para outra realidade. Tanto que Sun Tzu diz: “O essencial na guerra é a vitória e não, as operações prolongadas”.
            Com o adendo de que, a priori, a repetição de uma ação gera um padrão e, a posteriori, denuncia uma estagnação.
            Ademais, a criação de um estilo de vida é viável. Já que é bom estar em um patamar em que os desejos se materializam. Porém, sua manutenção leva a uma ausência de vida. A um estágio em que se é congelado pelas próprias convicções.
            Por isso, toda ação deve ser encarada como um rito de iniciação. Em que se morre para uma vida defasada e renasce para uma existência, quiçá, otimizada.








Todavia, há um ditado que afirma o seguinte: "a boa mulher é aquela que perdeu a virgindade e manteve a classe". Contudo, como é possível manter a "classe" se se cultua o axioma que prega que "o aspecto proveitoso da fidelidade é que ela comprova o quão prazerosa é a promiscuidade"? Simples: criando uma sociedade paralela. Em que a distorção social transforma a fraqueza em virtude.
Assim, um grupo de misses embarcou em uma cruzada contra a real razão de seu fracasso: a competência alheia. E se deparou com o sucesso da incompetência: ou seja, o acaso.
 
A Quadrilha das Misses Assassinas*
(*disponível nas melhores bancas e livrarias)

http://www.clubedeautores.com.br/book/124263--A_Quadrilha_das_Misses_Assassinas

MasterChef Brasil 2017 - Episódio 016 - Parte 002

            Todavia, por ter ficado por último, pelo preço fixo de 10’ do seu tempo, adquiriu Leonardo um carré.             Por 02’...

JORNAL "O MOCHILEIRO" - receba os artigos do blog mais sacana da paróquia em seu e-mail.

INVISTA NO NOSSO BLOG, ADQUIRINDO OS PRODUTOS AQUI ANUNCIADOS.